O sistema da sua empresa tem te deixado na mão quando você mais precisa?

SIM

Empresas não podem mais encorajar a prática de sequestro de dados

O ransomware, ou sequestro de dados foi uma das práticas de ataque a segurança da informação mais recorrentes em 2016. A tendência deve manter-se em 2017 e sua empresa pode não estar preparada para lidar com as consequências de um ataque como este.

De acordo com FBI, as perdas relacionadas com esse tipo de ataque podem chegar a 1 bilhão de dólares só nos Estados Unidos. No primeiro trimestre do ano que se encerrou, as vítimas tiveram que investir cerca de 209 milhões para reparar os dados causados por esses criminosos. Em 2015, as perdas alcançaram 24 milhões de dólares.

Para as empresas brasileiras, esses hackers não deram folga. Um de nossos cliente só se livrou da fraude porque tinha cópia de todos os seus arquivos em nuvem. Mas o pânico foi grande. Por se tratar de uma empresa de contabilidade, a empresa corria risco de sofrer graves sanções por parte da Receita Federal, que podiam leva-la inclusive a falência.

Mas por que esses crimes tendem a aumentar a frequência?

O roubo de dados já não é mais lucrativo

A venda de arquivos sigilosos para a concorrência, ou a ameaça de divulgação de informações pessoais já não é mais lucrativa. Até mesmo os registros médicos, principal alvo desses criminosos perdeu 50% do valor.

Não existe mais demanda para esse tipo de informação. Além de haver cada vez mais políticas de segurança para impedir o acesso a esse tipo de informação só cresce.

Por outro lado, os preços dos resgates só crescem.

Como funciona o ransomware?

Em regra, o criminoso invade uma rede privativa de uma pequena empresa, ou até mesmo um prefeito e cria uma forma de criptográfia que impede o acesso aos dados da empresa. O PC invadido exibe uma mensagem com o número de uma conta no exterior, na qual a vítima deve depositar o resgate para ter os dados liberados.

Na grande maioria das vezes, as pessoas não têm os dados totalmente liberados. Fato que as mantêm eternamente reféns e sempre desprendendo valores maiores.

A polícia, em regra, é insuficiente para combater essa espécie de crime e os hackers têm certeza da impunidade.

Como combater o sequestro de dados?

A única forma eficiente de acabar com esse tipo de crime é não o financiar. Assim como o roubo de informação, a falta de um mercado para o crime aboliu a prática. Você empresário não pode pagar resgates milionários que motivam novos aventureiros a empreenderem tais ataques.

Para isso, o ideal é armazenar cópias das informações em servidores pulverizados. Com a arquitetura de nuvem o possível planejar e implementar backups simultâneos de todos seus dados em um ou mais computadores externos a sua sede.

Foi isso que fizemos para nosso cliente e permitiu que ele fosse capaz de restaurar seu sistema em poucos minutos e não pagar o resgate absurdo.

Seu sistema? Está protegido contra a tendência maliciosa de 2017? Faço nosso teste e conheça as principais vulnerabilidades que podem colocar seus dados em risco. Leia também nosso e-book para conhecer as melhores soluções.